Amamentação não deve ser interrompida por mães infectadas pela COVID-19

A enfermeira Katherine Maurente elenca medidas que devem ser tomas para evitar a contaminação para o bebê

Conhecido como Agosto Dourado, o mês de agosto é marcado pela promoção, proteção e o apoio ao aleitamento materno. Em tempos de pandemia da Covid-19, uma das preocupações é sobre a amamentação por mães infectadas pela COVID-19.

A OMS orienta a manutenção da amamentação por falta de elementos que comprovem que o leite materno possa disseminar o novo coronavírus.

A enfermeira Katherine Maurente, que coordena uma equipe de enfermeiros em um hospital municipal em Cachoeiras de Macacu, na linha de frente da Covid-19, elencou medidas para que o bebê não seja contaminado. Segundo a profissional, a mãe infectada deverá ser orientada para observar as medidas para prevenir o risco de transmissão do vírus por gotículas respiratórias durante o contato com a criança incluindo durante a amamentação.

– Lavar as mãos 20 segundos antes de tocar no bebê

-Usar máscara e trocar sempre que tossir e espirrar

-Caso paciente não se sinta à vontade de amamentar diretamente a criança, poderá extrair o leite manualmente ou usar bombas de extração e um cuidador saudável poderá oferecer o leite ao bebê por copinho ou colher.

https://instagram.com/katherinemaurente?igshid=1b1v81y75t12k

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.